fechar× Entre em contato (71) 98103-0300

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia fechou parceria na quinta-feira (13/09), com o Hub Salvador. O acordo entre ambas as instituições visa aprofundar o estudo sobre um dos temas que será abordado na Convenção Anual da ADEMI-BA, este ano, bem como gerar aproximação  entre incorporadoras e startups e mentoria para desenvolvimento de novos negócios.
De acordo com Cláudio Cunha, presidente da Associação, a iniciativa faz parte do ‘ADEMI em Pauta’, evento consolidado entre os associados, cujo foco é promover aprimoramento sobre os mais diversos temas relacionados ao setor imobiliário. A Convenção deste ano vem com o conceito de ‘Disrupção’, tema que leva à reflexão sobre novas medidas para o segmento.
“Nesse sentido, teremos um painel no evento que falará sobre futurologia e um espaço, o Ademi Hub, que vai concentrar startups e líderes do mercado, pensando e criando soluções para o nosso segmento. Vamos unir teoria e prática em um evento, e para começarmos a nos familiarizar com a proposta, propomos aos associados um formato diferente do Ademi em Pauta. A ideia foi bem aceita e estamos felizes com o resultado”, explica.
O ‘Ademi em Pauta’ reuniu mais de 50 associados no Hub Salvador. O grupo participou de um tour pelo ambiente de coworking, seguido de palestras dos futuristas Igor Ary Juaçaba (Elephant Coworking) e Luiz Candreva (Colab), além de  um happy hour para celebrar mais um dos avanços da associação.
Na palestra, Igor chamou atenção para os sinais que podem impactar o mercado imobiliário nos próximos 10 anos. Ele explica que as construtoras deixarão de ser concorrentes e, na disputa pela atenção do cliente, entram os anseios por um novo estilo de vida, viagens, entre outros.
“A vida está mudando com celeridade. As pessoas estão priorizando a experiência. É só prestarmos atenção em quantas coisas conseguimos fazer com um clique: você pode pedir um transporte compartilhado, acionar uma rede de restaurante com entrega em casa, comprar passagens, pagar boletos e etc. Há uma reinvenção dos espaços e, nesse sentido, a era da propriedade dá lugar à era do usufruto”, adianta.
Complementando os argumentos de Igor o especialista Luiz Candreva levou a plateia a refletir sobre as mudanças que estão acontecendo de forma imperceptível e afirmou que o mercado imobiliário precisa se antecipar às mudanças. “O setor precisa apostar em projetos de alta relevância para a sociedade. Religião, clima, trabalho remoto, cultura segurança, saúde e a valorização da experiência são fatores que mudam a forma das pessoas morar. Os líderes do mercado imobiliário precisam pensar em moradias inteligentes. Minha provocação é para que comecemos a pensar, até a Convenção, em novos negócios imobiliários”, defende.