fechar× Entre em contato (71) 98103-0300

Prêmio Braskem de Teatro em 2018

blog-image
Enquanto os vencedores do 25º Prêmio Braskem de Teatro não são revelados, uma nova Comissão Julgadora já trabalha, desde o dia 10 de abril, avaliando os espetáculos concorrentes à 26ª edição da mais tradicional premiação do teatro baiano. Os cinco renomados profissionais ligados às artes cênicas estarão atentos até o dia 23 de dezembro, em todas as produções teatrais em cartazem Salvador. Este ano, integram a comissão que irá eleger os destaques de 2018: Adelice Souza, diretora teatral, dramaturga e escritora; Fernanda Tourinho, produtora cultural; Fernando Marinho, músico, ator, diretor, artista visual e presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Bahia (SATED Bahia); Paulo Henrique Alcântara, dramaturgo, diretor teatral e professor doutor da Escola de Teatro da UFBA; e Zuarte Júnior, artista plástico e cenógrafo.

“Estar na comissão julgadora possibilita ter uma noção ampla de como anda o cenário teatral baiano no momento”, afirma Adelice Souza, que participa pela quarta vez da Comissão Julgadora do Prêmio Braskem de Teatro. Para o estreante na comissão, Zuarte Junior, a expectativa “é de ter um panorama real do reflexo atual do teatro feito na Bahia”. Sentimento comum a Paulo Henrique Alcântara, que integra a comissão pela terceira vez. “Estou com expectativa de sair muito de casa para ir, diversas vezes, aos teatros de Salvador, como indicativo de que essa arte, na nossa cidade, está pulsando, apesar de todas as dificuldades”, deseja o dramaturgo.

Para Fernando Marinho, o Prêmio Braskem de Teatro, que em 2018 completa 25 anos, é “um importantíssimo reconhecimento pela produção teatral baiana”. Opinião compartilhada por Fernanda Tourinho: “considero o Prêmio importantíssimo para o cenário baiano. Ele incentiva as produções, movimenta a cena, agrega valor ao trabalho dos indicados, revela talentos, chancela trabalhos. São 25 anos do Prêmio e sua manutenção deu provas da força da linguagem artística na Bahia”, garante a produtora cultural.

“O Prêmio é válido como estímulo aos talentos emergentes e como reconhecimento de trajetórias de artistas com larga experiência”, garante Paulo Henrique, afirmado ainda que a trajetória da premiação, confunde-se com a história do teatro baiano ao longo desses 25 anos. “Pelo histórico do Prêmio Braskem, é possível constatar como o teatro baiano se desenvolveu durante esse longo período” afiança. Para Zuarte Júnior, “a premiação torna-se um agente impulsionador, um reforço nesse trilhar tão árduo, onde cada vez se torna mais difícil produzir espetáculos. É união da classe e reconhecimento. Significa intensificação do fazer teatral Baiano”.

A diretora teatral Adelice Souza ressalta, também, a característica festiva do Prêmio Braskem de Teatro. “A festa de premiação também é um momento muito importante. Dia impar onde a classe teatral se vê, se reconhece. Com muitas montagens e os artistas em cena nos horários comerciais, a festa de premiação se torna uma grande oportunidade de encontro e celebração”, lembra Adelice. A coordenação da Comissão Julgadora continua a cargo de Vadinha Moura, atriz, diretora, produtora teatral, gestora cultural e arte educadora. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail coordenacao@premiobraskemdeteatro.com.br.